domingo, 25 de abril de 2010

Exercício de educação especial 1 com gabarito - 1° semestre de 2009/ 1° Período

AULA 16


O que é Educação Especial?

A atual LDB, trata a EE como uma modalidade de educação escolar que deve ser oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, para pessoas com necessidades educacionais especiais. É um conjunto de recursos educacionais e de estratégias de apoio que deve perpassar todos os níveis de ensino e estar á disposição de todos os alunos, oferecendo diferentes alternativas de atendimento.



Quais os alunos considerados “educandos com necessidades educacionais especiais” e quais são suas características?

Aqueles que apresentem as seguintes deficiências:

Deficiência Mental – funcionamento intelectual geral significativamente abaixo da media .

Deficiência física sensorial visual – redução ou perda total d capacidade de ver.

Deficiência física sensorial auditiva – perda total ou parcial da capacidade de ouvir

Deficiência física motora – comprometimento da mobilidade, coordenação motor geral ou da fala

Paralisia cerebral – alteração de tônus muscular

Deficiência múltipla – associação de duas ou mais deficiências

Condutas típicas de síndrome e quadros psicológicos, neurológicos ou psiquiátricos- autismo, psicoses.

Altas habilidades/superdotação – aprende com facilidade, domina rapidamente os conceitos



Qual a diferença entre o modelo médico e o modelo pedagógico?

Médico -é centrado na doença, os alunos eram vistos como doentes e incapazes, o objetivo era mudar a pessoa porque o problema está centrado nela.

Pedagógico – centrado no aluno, nas suas potencialidades e metodologias adequadas e influências ambientais



O que significa Enfoque Sistêmico?

Significa que a Educação Especial faz parte d Educação geral e não se diferencia da Educação comum nos aspectos filosóficos, mas na metodologia, nas estratégias de ação. Não pode ser considerada de forma isolada, mas, como proposta que deverá estar articulada com todos os setores da sociedade, que caracteriza os serviços especializados através de parceria entre as áreas de educação, saúde, assistência social e trabalho, conforme determina as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.



AULA 17

Qual o perfil do professor da escola inclusiva? Como pode ser sua formação?

Deverão comprovar que na sua formação, foram incluídos conteúdos e disciplinas específicas da área de EE, bem como desenvolvidas competências para:

-perceber Necessidades EE dos alunos;

-flexibilizar a ação pedagógica nas diferentes áreas de conhecimento;

-avaliar continuamente a eficácia do processo educativo;

atuar em equipe, inclusive com professores especializados em EE.



Qual a diferença”marcante” entre escola inclusiva e escola comum?

A escola inclusiva não procura no aluno, a origem de um problema e define-se pelo tipo de resposta educativa e de recursos e apoios especializados para que este obtenha sucesso escolar; por fim, em vez de pressupor que o aluno deva ajustar-se a padrões de normalidade para aprender, aponta pra a escola o desafio de ajustar-se para atender à diversidade de seus alunos.



AULA 18

Quais são os serviços de apoio pedagógico especializado e onde ocorrem?

São serviços educacionais diversificados oferecidos pela escola comum com o objetivo de responder ás necessidades educacionais especiais do aluno. Esses serviços podem ser desenvolvidos nas classes comuns e nas salas de recursos.

Cabe á escola organizar e garantir os serviços de apoio pedagógico especializado, através de projetos e regimes escolares devidamente regulamentada pelos conselhos de Educação competentes. Todos os professores de EE e os que atuam em classes comuns deverão ter formação para as respectivas funções, principalmente os que atuam em serviços de apoio pedagógico especializado.



O que você entende por serviço educacional especializado?

O atendimento educacional especializado pode ocorrer fora do espaço escola, sendo, nesses casos, certificada a freqüência do aluno mediante relatório do professor que o atende. Como exemplos temos: Classe hospitalar, Ambiente domiciliar, (ambos destinados aos alunos impossibilitados de freqüentar as aulas em razão de tratamento de saúde). Itinerância, professores-intérpretes.



Como você define classe especial? Quais condições devem ser asseguradas ao alunos desta classe?

Classe especial é uma sala de aula, em escola de ensino regular, em espaço físico e modulação adequada. Nesse tipo de sala, o professor da EE utiliza métodos , técnicas, procedimentos didáticos e recursos pedagógicos especializados, e quando necessário, equipamentos e materiais didáticos específicos, conforme etapa da educação básica, para que o aluno tenha acesso ao curriculo da base nacional comum.

As classes especiais serão organizadas para atender os impossibilitados, temporariamente ou não, de frequentar a escola regular com a avaliação e o encaminhamento sendo feitos por uma equipe multiprofissional.



Oque você entende por equipe multiprofissional?

Formada por vários profissionais com o objetivo de atender o aluno em todas as suas questoes especificamente e pontualmente: : médicos, psicólogos, fonoaudiólogo, fisioterapeutas ocupacionais, assistentes sociais e outros.



AULA 19

De que forma a Associação Americana de Deficiência Mental carateriza esta doença?

A deficiência mental manifesta-se antes dos 18 anos e caracteriza-se, principalmente, por um déficit intelectual que coexiste com limitações relativas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas a saber:comunicação;cuidados pessoais;habilidades sociais; desempenho na família e comunidade; independência na locomoção; saude e segurança; desempenho escolar; lazer e trabalho

Assim AAAMR-conceitua a DM como:

funcionamento intelectual significativamente abaixo da média, coexistindo com limitações relativas a duas ou mais das seguintes áreas de habilidades adaptativas: comunicação, auto-cuidado, habilidades sociais,participação familiar e comunitária, autonomia, saúde e segurança, funcionalidade acadêmica, de lazer e trabalho. Manifesta-se antes dos dezoito anos de idade. “não se deve confundir a doença mental com a deficiência.



Qual a diferença entre DM e Doença Mental?

A pessoa com Doença Mental apresenta a percepção de si mesma e da realidade alterada, é acometida de surtos e precisa de medicamentos bem específicos. Já a pessoa com Deficiência Mental (DM) não tem alterada a percepção de si mesma e da realidade, sendo capaz de decidir o que é melhor para ela e não será “tratada” sou seja, ficar sob os cuidados de um psiquiatra, por exemplo. Não podemos esquecer, no entanto, que 20 a 30% das pessoas com DM podem apresentar algum tipo de doença mental (depressão, esquizofrenia, síndrome de pânico) entre outras. As doenças mentais devem ser tratadas pois afetam o desempenho das pessoas, pois, primariamente, comprometem outras áreas do funcionamento, além da inteligência, como por exemplo, o humor e a capacidade de concentração.



Quais são e como podem ser divididos os sinais apresentados pela criança com DM?

Precisamos estar atentos aos sinais que uma criança com DM apresenta e quais são eles. Na literatura encontramos esses sinais divididos em quatro áreas:



a) ÁREA MOTORA -

As crianças com deficiência mental leve não costumam apresentar diferenças em relação aos colegas da mesma idade, podendo, no entanto, apresentar alterações na motricidade fina. Normalmente não terão necessidade de “currículo especial”.

A criança com deficiência mental severa apresenta um comprometimento motor acentuado, falta de equilíbrio, dificuldades de locomoção, de coordenação, e dificuldades de manipulação dos objetos.

Quando comparadas com crianças não deficientes, notamos que a criança com DM terá um desenvolvimento mais lento, em relação ao sentar, engatinhar, andar, falar... Geralmente são mais frágeis, podem apresentar estatura mais baixa e adoecer com mais facilidade. De acordo com Kirl & Gallacher(2000) apresentam uma incidência elevada de problemas neurológicos, de visão e audição.



b) ÁREA COGNITIVA -As crianças apresentam dificuldades para aprender conceitos abstratos e em concentrar a atenção; em relação á memória costumam esquecer mais depressa que os seus colegas não deficientes e demonstram dificuldades para resolver problemas e em generalizar a informação apreendida para situações novas. Generalizam situações específicas, utilizando um conjunto de regras. Podem atingir os mesmos objetivos escolares que os seus colegas até certo ponto, mas de uma forma mais lenta.



c) ÁREA DA COMUNICAÇÃO – Geralmente apresentam dificuldades de fala e de compreensão. O problema de linguagem afeta a interação com os outros e isso, sem dúvida, tem muita influência no desenvolvimento da criança com DM.



d)ÁREA SOCIO EDUCACIONAL – Lembrando que essas crianças apresentam dificuldades na generalização para novas situações, na aquisição de comportamentos anteriormente experimentados e nas interações sociais, é muito importante desenvolver esta área para promover a inclusão da criança com DM.

A diferença entre a idade mental (IM) e a idade cronológica(IC) compromete a interação social, por isso mesmo não devem ser excluídas dos grupos de sua faixa etária. È necessário estimular a participação nas mesmas atividades, porque é assim que aprendem os comportamentos, valores e atitudes sociais do seu grupo. Não se deve levar em conta apenas a idade mental da criança, mas também sua idade cronológica e acima de tudo a criança deve ser vista na sua totalidade.



Cite alguns cuidados que devem ser tomados para prevenir o desenvolvimento de uma DM?

A DM pode ser prevenida através de exames: do cariótipo, a dosagem de alfafetoproteina materna, o pré-natal, o teste do pezinho. O cordocentese e a amniocentese.

Alguns cuidados devem ser tomados como:

-durante a gestação evitar medicamentos desnecessários;

-as mulheres precisam tomar vacinas contra rubéola antes da gravidez e as que não forem vacinadas devem evitar o contato com a doença;

-a alimentação da mãe durante a gravidez deve ser balanceada e de boa qualidade;

-o pré-natal é indispensável, sendo necessário que a futura mamãe submeta-se a exames médicos regulares durante a gravidez;

-o nascimento da criança nunca deve ser apressado durante o parto. É muito importante conhecer os sinais que indicam se a criança está bem ou não, como por ex: nascer azulada, flácida e não respirar imediatamente ou então nasce com o cordão umbilical enrolado no pescoço (anoxia).

-é fundamental amamentar o bebê, porque o leite materno protege a criança ajudando a prevenir e combater infecções.

-não esquecer de vacinar o bebê.

-quando o bebê estiver com febre é necessário despí-lo, e se esta for alta é importante molhar a criança e abaná-la até a febre abaixar. Jamais envolva o bebê com roupas ou cobertores , pois isto pode provocar convulsões ou lesão cerebral permanente. A criança em estado febril deve ingerir muito líquido.



Quais são as principais causas de DM?



Causas Pré-Natais: desde a concepção do bebe até o início do trabalho de parto.

Nessa etapa encontramos:

-mães desnutridas

-falta de assistencia médica ou inadequada;

-doenças infecciosas como sífilis, rubéola, toxoplasmose;

-fatores tóxixoscomo:alcoolismo, consumo de dorgas, efeitos colaterais de remédios(medicamentos teratogênicos que afetam a estrutura e o desenvolvimento da anatomia), poluição ambiental e tabagismo;

-fatores genéticos:alterações cromossômicas (numéricas ou estruturais), Ex Síndrome de Douwn, síndrome de Willians, esclerose tuberosa, etc...



Causas Perinatais: do início do trabalho de parto até o 30º dia de vida do bebê:

-má assistencia ao parto e traumas de parto;

-hipóxia ou anóxia (oxigenação cerebral insuficiente)

-prematuridade e baixo peso (PIG -pequeno para idade gestacional)

icterícia grave do recém-nascido – kernicterus (incompatibilidade RH/ABO)



Causas pós natais: podem ocorrer do 30º dia de vida do bebe até o final da adolescência:

-desnutrição, desidratação grave, carencia de estimulação global

-infecções: meningoencefalites, sarampo etc...

-intoxicação exógenas (envenenamento) por remedios, inseticidas, produtos químicos

-acidentes: transito, afogamento, choque elétrico, asfixia, quedas;

-infestação: neurocisticercose (larva da taenia solium, popularmente chamada de solitária)

É muito importante observar se a criança apresenta algum atraso no seu desenvolvimento neuro-psicomotor como: sustentar a cabeça, rolar, engatinhar, sentar, andar, falar. Deve-se observar também o nível de compreensão e o aproveitamento escolar. Ao se avaliar uma criança é necessário considerar todos os sinais que possam indicar uma DM e jamais esquecer que estamos lidando com um ser humano pleno, que merece todo carinho e respeito.



Defina as modalidades de déficit de inteligência:prática,social e conceitual.

A definição de cada uma dessas modalidades de inteligência é a seguinte:

-Inteligência prática: refere-se á habilidade de se manter e de se sustentar como uma pessoa independente nas atividades ordinárias da vida diária. Inclui capacidades como habilidades sensório motoras, de auto cuidado e segurança, de desempenho na comunidade e na vida acadêmica, de trabalho e de lazer, autonomia;

-Inteligência Social : refere-se á habilidade para compreender as expectativas sociais e o comportamento de outras pessoas e ao comportamento adequado em situações sociais;

-Inteligência Conceitual: refere-se as capacidades fundamentais da inteligência, envolvendo suas dimensões abstratas.



Na mensuração da inteligência, qual Q.I. Considerado como indicador de DM?

Para alguns especialistas, a inteligência pode ser medida através de testes de quociente de inteligência, (QI) abaixo de 70 ou 75, aproximadamente, é considerado um indicador de deficiência mental, associado ás limitações nas habilidades adaptativas mencionadas na definição.



Como deve ser realizada a avaliação da DM? Citar e definir a função dos profissionais que devem compor uma equipe de avaliação e atendimento.

A avaliação deve ser feita por uma equipe multidisciplinar constando dos seguintes profissionais:

Médico – responsável pelo exame físico e recorrerá a avaliações laboratoriais.

Assistente Social – Deverá fazer o estudo e diagnóstico da família.

Pedagogo – adequação de atividades para estimular o bebê e seus primeiros anos de vida.

Psicólogo – realizará a aplicação de testes, provas e escalas avalistas específicas.











AULA 20

Defina cegueira e visão subnormal?

Deficiência visual :acuidade visual igual ou menor que 20/200 no melhor olho, após a melhor correção, campo visual inferior a 20, ou ocorrência simultânea de ambas as situações (Decreto3.298, de 20 de Dezembro de 1999-Portaria nº298 de 09 de agosto0

Existem dois tipos: os portadores de cegueira e os portadores de visão subnormal (visão reduzida), De acordo com a caracterização será feiro o encaminhamento para o tipo de atendimento educacional mais adequado.



Quais são os sintomas mais comuns que caracterizam um DV?

De acordo com Winebrenner (1952), os sintomas mais comuns de deficiência visual são:

-irritação crônica dos olhos indicadas por olhos lacrimejantes, inchados ou remelosos, pálpebras avermelhadas;

-náuseas, dupla visão ou névoas durante e após a leitura;

-queixa de enevoamento visual e tentativas de afastar com as mãos os impedimentos visuais;

-pestanejamento contínuo, sobretudo durante a leitura;

-hábito de esfregar os olhos, franzir ou contrair o rosto ao olhar objetos distantes;

-inquietação, irritabilidade ou nervosismo excessivo depois de um prolongado e atento trabalho visual;

-inclinação da cabeça ara um lado durante a leitura;

-cautela excessiva no andar, correr raramente e tropeçar sem razão aparente;

-desatenção anormal durante trabalhos no quadro-de-giz, mapa de parede etc;

capacidade de leitura por apenas um período curto;

-hábito de, durante a leitura, segurar o livro muito perto, muito distante, em outra posição incomum, ou ainda fechar ou tampar o olho.



O que é o Teste de Snellen?

Escala que testa a acuidade visual, simples, através da leitura de sinais (ganchos letra figuras), que leva a um primeiro diagnóstico do estado oftalmológico do aluno.



Aula 21

Como é definido o termo “deficiência múltipla”?

É a associação, no mesmo indivíduo, de duas ou mais deficiências primárias com comprometimentos que acarretam atrasos no desenvolvimento global e n capacidade adaptativa.



Quais as associações que os portadores de “dupla deficiência” podem apresentar?

visual/física - mental/auditiva -mental/visual -auditiva/física

física/mental - visual/auditiva



Aula 22

Oque é PC?

A paralisia Cerebral é uma lesão de algumas partes do cérebro. Acontece durante a gestação, durante o parto ou após o nascimento, ainda no processo de amadurecimento do cérebro da criança. É uma lesão provocada, muitas vezes, pela falta de oxigenação das células cerebrais.



Quais as causas?

Sabe-se que qualquer dano no cérebro pode ter conseqüências graves, algumas de caráter irreversível. Uma dessas conseqüências pode ser a PC e sua causa mais freqüente tem sido a falta de oxigenação (anoxia) no cérebro do bebe antes, durante e após o nascimento.



É possível prevenir a PC? Como?

A PC pode ser evitada através de campanhas educativas para informar e esclarecer a comunidade; exames prévios dos pais para detectar possíveis problemas hereditários; cuidados com a mulher grávida e com a parturiente. É necessário a presença de um neonatologista na sala de parto.



O que a escola deve fazer para tender a criança com PC?

A criança com PC, tem direito á educação plena como garante a Constituição e como está previsto nas diretrizes nacionais para Educação Especial na Educação Básica.

Os parâmetros curriculares Nacionais devem estar atentos á diversidade da escola, levando em conta as necessidades educacionais dos alunos, onde se inclui, obviamente os lunos com PC. Cabe á escola oferecer atendimento pedagógico e serviços especializados, como respostas específicas adequadas ás necessidades educacionais dos alunos. É necessário adaptar as escolas e seus currículos para atender a criança com PC. É uma questão de inclusão.



Aula 23

Como é caracterizado o educando portador de altas habilidades?

A resolução nº 02 de 11 de setembro de 2001, que institui as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica, considera como educandos com altas habilidades/superdotação, “aqueles que apresentem grande facilidade de aprendizagem que os leve a dominar rapidamente conceitos, procedimentos e atitudes”.





Quais os tipo encontrados?

Tipo Intelectual- apresenta flexibilidade e fluência de pensamento, capacidade de pensamento abstrato para fazer associações, produção ideativa, rapidez do pensamento, julgamento crítico, independência do pensamento, compreensão e memória elevadas, capacidade de resolver e lidar com problemas.



Tipo Acadêmico – evidencia aptidão acadêmica específica, de atenção, de concentração; rapidez de aprendizagem, boa memória, gosto e motivação pelas disciplinas acadêmicas de seu interesse; habilidade para avaliar, sintetizar e organizar o conhecimento; capacidade de produção acadêmica.



Tipo Criativo – relaciona-se ás seguintes características: originalidade, imaginação, capacidade de resolver problemas de forma diferente e inovadora, sensibilidade para as situações ambientais. Podendo reagir e produzir diferentemente e , até de modo extravagante; sentimento de desafio diante da desordem de fatos; facilidade de auto-expressão, fluência e flexibilidade.

Tipo Social – revela capacidade de liderança e caracteriza-se por demonstrar sensibilidade interpessoal, atitude cooperativa, sociabilidade expressiva, habilidade de trato com pessoas diversas e grupos para estabelecer relações sociais, percepção acurada das situações de grupo, capacidade para resolver situações sociais complexas, alto poder de persuasão e de influência no grupo.

Topo talento especia – pode-se destacar tanto nas áreas das artes plásticas, musicais, como dramáticas, literárias ou técnicas, evidenciando habilidades especiais para essas atividades e alto desempenho.



Quais as principais formas de atendimento?



Escola comum – Os portadores de altas habilidades/superdotados poderão ser atendidos na escola comum, nos diversos níveis de escolaridade, em turmas não muito numerosas, a fim de facilitar um atendimento diferenciado bem como sua integração intelectual, aproveitando-se o curriculo e material didático existentes.

De acordo com suas potencialidades, esses educandos podem ser atendidos nas seguintes modalidades: classe comum, classe especial integrada á escola comum, sala de recursos e ensino itinerante.



a)classe comum – Esse atendimento exige atividades de apoio paralelo ou combinado, a fim de garantir que o educando mantenha seu interesse e motivação, podendo o professor receber orientação técnico-pedagógica de docentes especializados no que se refere adoção de métodos e processos didáticos especiais.

b)Sala de Recursos – a sala de recursos é uma das modalidades utilizadas para atender os alunos portadores de atas habilidades/superdotados em horário diferente ao da classe comum. Trata-se de um local especial, com professor especializado e com programa de atividades específicas, que tem por objetivos o aprofundamento e o enriquecimento do processo de ensino-aprendizagem, e a criação de oportunidades para trabalhos independentes e para investigação nas áreas das habilidades e talentos.

c)Ensino com Professo Itinerante – o ensino com professor itinerante é um trabalho educativo desenvolvido em várias escolas por professor especializado e ou superviso, individualmente ou em equipe, que trabalha com o portador de altas habilidades e com o professos da classe comum, proporcionando-lhes orientação ou supervisão especializada. Os professores de avaliação e acompanhamento da programação desenvolvida poderão ser realizados conjuntamente pelo professor de classe comum, com o professor itinerante, devendo ser observados os aspectos relacionados ao cronograma de atendimento e ao planejamento das atividades, além da garantia dos meios de transporte necessários.



Aula 24

Quais são os tipos de programas de atividades Especiais comumente aplicados? Defina-os.



PROGRAMAS DE ACELERAÇÃO

Assim são denominados os programas que aceleram:

O ritmo do ensino-Aprendizagem é uma modalidade de atendimento que permite ao aluno portador de altas habilidades concluir seus estudos em tempo inferior ao previsto, naqueles matérias do curriculo para os quais se tenha demonstrado maior aptidão.

Os programas de aceleração prevêem a entrada do aluno no sistema educacional (amparados por lei0 antes da idade legal, possibilitando alternativas como a promoção do aluno a séries mais avançadas antes do término do ano letivo e a transposição de série, possibilitando ao aluno completar dois anos de escolaridade em um ano apenas. Também propiciam situações de aprendizagem não-suplementares, tipos específicos de avaliação e exame para obtenção créditos e planos curriculares acelerados nas diversas áreas curriculares (devidamente autorizadas pelos Conselhos de Educação)



PROGRAMAS DE ATIVIDADES ESPECIAIS:

Seminários Especiais- pequenos grupos ou seminários poderão ser organizados em escolas locais ou em universidades, associadas em sistema corporativo, objetivando o treinamento de professores, a elaboração de projetos e a execução de serviços para a comunidade.

Aproveitamento de Recursos Humanos da Comunidade- conferências poderão ser realizadas por pessoas de destaque da comunidades, como artistas, cientistas educadores e outros.

Monitorias- pais qualificados , alunos, indivíduos da comunidade e professores poderão, voluntariamente, atender a alunos que tenham interesses particulares e que não possam ser atendidos em classes comuns. Por ex: um técnico em computação poderá trabalhar com um estudante interessado em sistemas de informação. Um aluno portador de altas habilidades poderá ser também monitor dos colegas.

Visitas e Excursões – atividades dessa natureza poderão figurar como extensão educacional dos conteúdos de classe. Museus, exibições de artes plásticas ou monumentos, fazendas e industrias, por ex. Podem receber visitas programadas de estudantes.

Viagens- poderão ser programadas para fins de semana, com acompanhamento de guia par diferentes áreas do conhecimento. Poderá haver ainda oportunidades de viagens com clubes locais, com antropólogos e arqueólogos, desportistas artistas e demais.

Atividades Diversificadas em Programa de Férias- essas oportunidades poderão concorrer para o aprofundamento de determinados estudos ou para a exploração de novas áreas de interesse, permitindo a integração do aluno com professores especializados e colegas voluntários.

Programas de agrupamento especial – visa facilitar o acesso dos alunos grupos de trabalho, em classes regulares ou especiais

Grupos Especiais – são grupos compostos de portadores de alts habilidades cujas necessidades não podem ser atendidas numa classe regular.

Grupos Homogêneos – os diversos distritos educacionais poderão organizar um ou mais grupos compostos de crianças ou jovens que apresentem as mesmas habilidades, recebendo instrução e materiais específicos, adequados as suas necessidades e interesse.



Aula 25

Defina Dislexia de acordo com Fonseca e Myklebust.

Dificuldade na aprendizagem da leitura, independentemente de instrução convencional, adequada inteligência e oportunidade sociocultural. Depende portanto, fundamentalmente de dificuldades cognitivas, que são frequentemente de origem constitucional. Dificuldades na leitura e na escrita.

Miklesbust – diferencia a dislexia auditiva da dislexia visual

Quais comportamentos problemáticos a criança disléxica pode apresentar?

Hiperatividade, Fraco alcance da atenção, Imaturidade social, Dificuldade com a conversação, Inflexibilidade, Fraco planejamento e habilidades organizacionais, Distração, falta de destreza e falta de controle dos impulsos.



Dislexia Visual - o processamento visual e gestático estão perturbados. Recomenda-se então a utilização dos sistemas neurossensoriais intactos, isto é, o auditivo ou tatilquinestésico. Os métodos mais indicados são os analíticos e fonéticos.



Dislexia auditiva – neste caso, lembra o autor, o processamento auditivo e fonético está afetado. O que justifica a sua utilização sistemática. O método de aprendizagem da leitura deve explorar os sistemas neurossensoriais que estão intactos, isto é, o sistema visual . Neste âmbito, a leitura oral não deve ser utilizada, senão muito tarde , e aqui são recomendados os métodos globais.



A dislexia mé de difícil diagnóstico, só podendo ser feito por uma equipe multidisciplinar, geralmente o distúrbio só é percebido no período de alfabetização, quando a criança começa a apresentar dificuldades de ler e escrever.

Como você define condutas típicas?

Condutas típicas são as manifestações de comportamentos típicas de portadores de síndromes e quadros psicológicos , neurológicos ou psiquiátricos que ocasionam atrasos no desenvolvimento e prejuízos no relacionamento social, em grau que requeira atendimento educacional especializado.



Quais as características dos distúrbios de conduta, dificuldades de

aprendizagem e ao autismo?



Distúrbios de conduta:

de acordo com Nunes, que faz menção aos estudiosos Carr e Punzo,

...as queixas de indisciplina costumam estar associadas aos distúrbios de conduta ou a qualquer outra excepcionalidade, incluem a falta de atenção, dificuldades de o aluno manter-se envolvido nas tarefas e completá-las em tempo previsto, agressividade, escassas habilidades pró-sociais e para trabalhar independementemente.

Já Baptista e Rangé, diz o seguinte sobre distúrbios de condutas:

...referem-se a toda sorte de comportamentos indesejáveis e interferentes no processo educativo, envolvendo agressividade, falta de atenção, agitações, impulsividade e postura desafiadora.



Dificuldades de Aprendizagem – Smith, define dificuldades de aprendizagem como problemas neurológicos que afetam a capacidade do cérebro para atender, recordar ou comunicar informações.



Autismo – o autismo ocorre no início da primeira infância;

A criança autista reage como se as outras pessoas não existissem, á medida que adquire mais idade tal comportamento vai se agravando e o isolamento autístico se transforma na ausência de relação interpessoal;

A criança não emite o sorriso social, parece não reconhecer os membros da família e não apresenta comportamentos lúdicos, tais como permanência de objeto (procurar objeto escondido0 e bater palminhas;

A criança não desenvolverá um linguagem apropriada, apresenta um deficiência ou grosseira distorção da fala que compromete sua comunicação;

apresenta pronunciada insistência em mesmice e um preocupação estereotipada com um número limitado de objetos inanimados aos quais frequentemente agarra-se com muita tenacidade.

Os exames médicos não revelam distúrbios neurológicos graves;

Apresenta desenvolvimento físico normal;



Resumidamente o Autismo pode ser caracterizado assim:

Aparecimento precoce do isolamento autista;

Ausência ou distorção d linguagem;

Insistência estereotipada em mesmice;

Falta de defeito físico visível.



Dê sugestões de implementação e de desenvolvimento do currículo que estão presentes nos PCNs?

a) encorajar o estabelecimento de relações com o ambiente físico e social

b)oportunizar e exercitar o desenvolvimento das competências dos alunos com condutas típicas;

c)estimular a atenção do aluno para as atividades escolares;

d)utilizar instruções e sinais claros, simples e condizentes com as atividades realizadas;

e)oferecer modelos adequados e corretos de aprendizagem(evitar alternativas do tipo “aprendizagem por ensaio erro”)



Como uma equipe pode determinar se uma criança tem dificuldade de aprendizagem?



1-se a criança não apresenta um desempenho acadêmico de acordo com o esperado para sua idade e níveis de habilidade em uma ou mais áreas (sete das quais estão especificadas – expressão oral ou escrita, compreensão auditiva, compreensão ou habilidade de leitura básica, cálculo e raciocínio matemáticos) quando provida com experiências de aprendizagem apropriadas para sua idade e níveis de habilidade.

2- se a equipe percebe que a criança tem uma severa discrepância entre o desempenho acadêmico e a habilidade intelectual em uma ou mais destas áreas.



Aula 27

Nomear e definir – Aparelho auditivo

a)ondas mecânicas - som

b) ouvido externo

c)ouvido médio

d)ouvido interno



Como você define a Deficiência Auditiva?

Redução ou perda da audição. A deficiência auditiva significa uma perda total ou parcial, congênita ou adquirida da audição e pode manifestar-se como surdez leve/moderada (perda té 70 decibéis) e surdez profunda (perda acima de 70 decibéis)



Hipoacusia - é uma redução na sensitividade da audição, sem qualquer alteração da qualidade de audição e o aumento da intensidade da fonte sonora, possibilita uma audição bastante adequada.



Disacusia- é um distúrbio na audição, expresso em qualidade e não em intensidade sonora, ou seja, o aumento da intensidade da fonte sonora não garante o perfeito entendimento do significado das palavras.



Quais são os tipos e as causas da DA?

Parcialmente surdo ( portador de surdez leve e portador de surdez moderada)

Surdos ( portador de surdez severa e portador de surdez profunda)



Causas da DA

a redução ou perda total da audição, pode ser provocada por traumas mecânicos pela exposição a barulho excessivo e por doenças congênitas ou adquiridas.

Como causas adquiridas podemos citar: corpos estranhos, otites, tampões de cera, perfurações timpânicas, obstruções da trompa de Eustáquio, envelhecimento a partir de 50 anos, traumatismos, intoxicação, doenças infecciosas, deficiência de vitamina D



Quais os sinais que permitem reconhecer a perda auditiva?

Se a criança demora falar e as primeiras palavras aparecem tarde por volta de três a quatro nos; ao ser chamado em voz norma criança não atende. Quando de costas, precisamos observar se criança apresenta excesso de comunicação gestual, tem o hábito de virar a cabeça para ouvir melhor; apresenta a fala extremamente alta ou baixa; dirige sempre o olhar para os l´bios de quem fala e não para os olhos e costuma trocar ou omitir fonemas na fala e na escrita;



Citar os cuidados que devemos ter com a audição?

Nunca tome remédio sem consultar o médico;

Limpe cuidadosamente os ouvidos, evitando retirar a cera.

Sempre que sentir dores, infecções ou sinal de perda da audição, procurar o otorrinolaringologista;

Se tem pessoas surdas na família ou se trabalha com ruídos permantes, faça exames periódicos;



Quem são os profissionais responsáveis pela audição?

Otorrinolaringologista, médico especializado em ouvido, nariz e garganta;

O fonoaudiólogo cuida dos problemas que afetam a comunicação, o que diz respeito a fala.



O que é uma prótese otofônica?

Equipamentos de amplificação sonora individual. Composto por microfone, receptor, amplificador e molde de adaptação individualmente.

Pode ser de “caixa”, e pode ser usado em um bolso; ou “retroauricular”, usado atrás da orelha.



Citar e comentar a Lei nº8160 de 08 de janeiro de 1991.

dispõe sobre a caracterização de símbolo que permite identificação de pessoas portadoras de deficiência auditiva.



Como você define e classifica as deficiências físicas?

Trata-se de um variedade de condições que afetam as pessoas comprometendo a mobilidade, coordenação motora geral ou de fala em decorrência de lesões neurológicas, neuromusculares e ortopédicas, ou más-formações congênitas ou adquiridas. Portanto, pessoas portadoras de deficiências física são aquelas que apresentam perda total ou parcial da capacidade motora causada por acidentes e ou lesão cerebral.

Podemos dividi-las em cinco categorias:

Monoplegia;paralisia em apenas um membro do corpo.

Hemiplegia: paralisia total das funções de um dos lados do corpo.

Paraplegia: paralisia da cintura para baixo, comprometendo as funções das pernas.

Tetraplegia: paralisia do pescoço para baixo, comprometendo as funções dos braços e pernas.

Amputações: quando há falta ou total ou parcial de um ou mais membros do corpo.

Deficiência Física motora- paraplegia, tetraplegia,hemiplegia, amputações sequela de pólio, deformações congênitas ou distrofia muscular.

Deficiência física sensorial -deficiente visual e deficiente auditivo.



Quais as principais causas de deficiência física?

Acidentes de trânsito, acidentes de trabalho, erros médicos, paralisia infantil, violência urnbana e desnutrição x fome.



O que a escola deve fazer para favorecer a inclusão no caso da DF?

Cabe a escola criar condições ara atender pessoas com deficiência física em todos os níveis de ensino. Entre outra s providências é necessário adaptar os espaços físicos, eliminando as barreiras arquitetônicas para garantir a acessibilidade. É fundamental que cada tipo de deficiência física receba o atendimento específico e adequado ás suas necessidades.



Conceituar

Barreira arquitetônica - podem ser culturais,afetivas, psicológicas, sociais, religiosas e filosóficas. As barreiras arquitetônicas são ambientais ou resultantes de iniciativas arquitetônicas que impedem a acessibilidade de pessoas que necessitam circular livremente no meio urbano e nos edifícios , principalmente públicos.



Acessibilidade-o termo não diz respeito apenas á eliminação de barreiras arquitetônicas, mas também acesso á rede de informações, e de comunicação



Desenho universal – visa atender não apenas as pessoas com deficiência, mas também todos levando em conta sus peculiaridades.



Como as pessoas ditas normais devem se relacionar com o deficiente?

De maneira natural, respeitando seus limites e evitando brincadeiras desagradáveis. Com os cadeirantes é muito importante não se apoiar, tampouco se colocar atrás da cadeira. Procure acompanhar o passo de quem usa moletas.

Um comentário: